gestão de riscos

Gestão de Riscos

1024 576 RBNA Consult

Por muitos anos, o mundo corporativo entendeu a palavra “risco” como algo negativo, ruim. De uns anos para cá, isso vem mudando. De acordo com o vice-presidente da Associação Internacional de Gestores de Emergência na América Latina e Caribe (AIGELAC), risco hoje é a incerteza de uma empresa realizar seus objetivos. Ou seja, risco não está mais associado apenas a perdas e danos.

Importante é entender quais os riscos do seu negócio para então tomar medidas que evitem ou reduzam a sua probabilidade de acontecimento. Não existe risco zero, mas o mapeamento e controle dos riscos de uma organização são imprescindíveis para uma cultura preventiva, uma mentalidade de se antecipar ao erro.

São muitas as metodologias para gestão de riscos corporativos e controles internos: ISO 31.000, FERMA, COSO e COBIT. Cada uma possui sua peculiaridade, mas são excelentes ferramentas que se complementam no objetivo de formar uma rede de gerenciamento de riscos.

Mas eles são de responsabilidade de quem? Os riscos são da organização, mas é importante ter um responsável não só pelo seu acompanhamento, mas pelo seu tratamento. Os líderes dos processos são as pessoas mais indicadas a tomarem conta dos seus respectivos riscos. Eles sabem os pontos fortes e fracos dos processos e são capazes de tomar medidas para atenuar isso, caso necessário.

Uma eficaz gestão de riscos corporativo gera valor para sua organização e proteção para seus funcionários e mais ainda, sua imagem. Como Warren Buffet bem lembrou: “são necessários 20 anos para construir uma reputação e apenas cinco minutos para destruí-la.”