treinamento em compliance

Treinamento em Compliance: Mudança de Comportamento

1024 604 RBNA Consult

“Apenas 2% das pessoas mudarão seu comportamento tendo como base uma mensagem mediada (pôster, brochura, vídeo, web). (…) Os outros 98% mudam seu comportamento com base em uma conversa informal, face a face, com alguém que conhecem e confiam”

                                                                                                                               Thomas J. Larkin, 2012.

Quando falamos em Compliance, muitos pensam logo em controles. Na verdade, um Programa de Compliance efetivo possui sim alguns controles, porém, mais do que isso, dissemina uma cultura de integridade. Os controles a curto prazo devem ter como objetivo a disseminação da cultura ética dentro da organização como forma de mudança – ou reafirmação- de comportamento.

Para treinar um grupo é preciso entender suas necessidades. Mais do que isto, é preciso entender também seus anseios e comportamento. Este é o ponto de partida interessante para o desenvolvimento de qualquer treinamento.

A seguir, um passo a passo simples para o desenvolvimento de um treinamento em compliance:

 

  1. Conhecer o público

Como dito anteriormente, esclarecer para qual nível hierárquico será o treinamento, se para apenas um ou para mais de um. Alguns exemplos de níveis hierárquicos são Alta Direção, Média Liderança, Supervisão, Analistas ou ainda área Operacional entre outros. Além disso, saber a área de atuação daqueles colaboradores, o que de fato naquele tema do treinamento é inerente a seu dia-a-dia e o que a empresa espera que eles absorvam. Outro ponto é o vínculo, entender se é algum terceirizado, se são só colaboradores ou ainda se tem fornecedores naquele grupo a ser treinado.

 

  1. Entender o objetivo daquele treinamento

Alguns exemplos de demandas das empresas são lançamentos de programas de compliance, recepção de novos integrantes, manutenção do tema ou ainda engajamento dos colaboradores. O objetivo de cada uma dessas demandas difere em pelo menos alguns aspectos. Diante disso, é importante lembrar sempre qual o objetivo daquele treinamento a ser dado como forma de alcanças o sucesso do mesmo.

 

  1. Melhor canal e tática de comunicação

Exemplos de canais internos que funcionam bem são os gibis, as charges, enquetes, webseries, guias de orientação. As táticas de comunicação também são imprescindíveis, pronunciamentos da Alta Direção e líderes engajadores são exemplos efetivos de comunicação direta e simples. As vezes também é interessante fazer um mix, por exemplo a área operacional recebe gibis e tem em seu crachá orientações do que fazer e não fazer. Já a Alta Direção, tem adesivos em sua sala com os valores da empresa e citações do Código de Ética, por exemplo.

 

  1. Estratégias de abordagem

Neste item é importante elaborar uma abordagem que vença a resistência e aproveite as oportunidades que aquele público gera como questões ligadas ao contexto da organização, características culturais, características do programa entre outros.

 

  1. Formas de avaliação

É importante avaliar as atitudes dos colaboradores, por exemplo a quantidade de acesso ao site, os relatos, o feedback aos líderes. Quanto ao longo prazo, é importante se atentar a pesquisa anual de avaliação, ao índice de abertura dos e-mails enviados a partir do treinamento, a participação das atividades.

 

Um bom programa de treinamento em compliance começa com um bom planejamento. Mãos à obra!