Escolha sobre o que você quer ler

    Aprenda como aplicar o compliance para pequenas empresas

    1024 738 RBNA Consult

    Problemas como corrupção e fraudes são assuntos cada vez mais discutidos nas organizações. Isso porque, independentemente do tamanho e da área de atuação, a falta de ética e transparência pode ter consequências graves. Por isso, o compliance para pequenas empresas já é uma realidade.

    Afinal de contas, as empresas menores também estão inseridas em um amplo mercado e pertencem a cadeia de fornecimento de muitas outras organizações. Portanto, estão sujeitas a riscos e devem buscar formas de mitigá-lo.

    Muitas organizações multinacionais e corporações brasileiras já exigirem programa de compliance de seus fornecedores. Inclusive, a Pesquisa Nível de Maturidade em Compliance 2018 mostra que o compliance deixou de ser uma exclusividade das grandes organizações.

    Se isso já seria suficiente para a criação de um programa de compliance, o fato é que as regras estão bem mais rígidas, principalmente depois da Lei 12.846 de 2013, chamada de Lei Anticorrupção. Mas muitas empresas ainda não sabem por onde começar. Para ajudar a você, montamos um passo a passo para aplicar o compliance para pequenas empresas. Confira!

    Faça uma avaliação de riscos

    O primeiro passo é entender quais são os riscos a que a sua empresa está sujeita. Ou seja, quais problemas podem ocorrer de acordo com o mercado em que ela atua e todas as suas características. Para tanto, é necessário estudar bastante todas as normas e leis que regem o funcionamento do negócio e avaliar quais as possíveis condutas dos sócios e dos colaboradores.

    Defina um plano de ação

    Depois de conhecer bem a sua empresa, é hora de planejar as ações para implementar um programa de compliance, dentro das possibilidades de uma pequena empresa. Esse plano de ação é importante para determinar quais os objetivos e metas a serem conquistados, além de todos os meios para alcançá-los. Também deve incluir as etapas seguintes e um cronograma detalhado para todas elas.

    Crie um código de ética e conduta

    O código de ética e conduta é um conjunto de normas internas a que a organização se submete para assegurar a transparência em suas relações. No caso, para a adoção do compliance para pequenas empresas, ele é necessário para orientar os colaboradores a respeito daquilo que é permitido ou devido em relação às normas legais e aos objetivos do negócio.

    Conte com profissionais especializados

    Em uma grande corporação, o ideal é contar com todo um time de profissionais dedicados ao compliance. Em uma pequena empresa e com uma equipe reduzida, isso pode ser mais complicado. De qualquer forma, é fundamental que um dos colaboradores esteja envolvido ativamente para zelar de todas as ações de compliance e seja capacitado para tal função.

    Adote um sistema de monitoramento

    É necessário monitorar todas as ações para saber a efetividade das medidas de compliance na empresa. Para tanto, deve-se estabelecer bons canais de comunicação, inclusive um canal de denúncias para os colaboradores, clientes e parceiros. Todos os comportamentos inadequados devem ser investigados e resolvidos de acordo com a necessidade.

    Capacite a sua equipe

    Por fim, destacamos a importância de capacitar a sua equipe em relação às medidas de compliance, principalmente sobre a responsabilidade de suas atitudes. Para isso, podem ser realizados treinamentos constantes, que destacam não apenas as leis e normas externas, mas também as regras de conduta determinadas pela empresa.

    Assim, fica mais fácil estabelecer uma cultura de compliance, incorporando valores éticos na rotina. O fato é que investir em compliance para pequenas empresas é uma forma de proteger o seu negócio. Mais do que isso, ele ajuda a trazer novos negócios, melhorar a reputação da organização, contribuindo para uma imagem ética e transparente.

    Gostou de saber como aplicar o compliance para pequenas empresas? Então, compartilhe o post para que mais pessoas conheçam essas dicas!