softwares mais utilizados na Engenharia Naval

Softwares Mais Utilizados na Engenharia Naval

1024 499 RBNA Consult

Nas últimas décadas, novas tecnologias incorporadas às práticas de engenharia melhoraram os procedimentos de elaboração de projetos, oferecendo maior confiabilidade. O desenvolvimento e a popularização dos computadores foi um grande motor de inovação, principalmente no contexto dos softwares de modelação, cálculo e simulação.

A Engenharia Naval foi uma grande beneficiária desses avanços tecnológicos. Cálculos que demoravam dias para serem feitos passaram a ser realizados em questões de horas; planos que antes eram feitos a caneta nanquim em grandes salas dentro dos estaleiros se tornaram digitais, podendo ser modificados e reimpressos a qualquer momento e transportados com facilidade. Algumas atividades ainda não foram totalmente substituídas, como é o caso dos processos de otimização de forma, que precisavam de dezenas de testes e modelos em escala e hoje só requerem alguns poucos ensaios físicos. Porém, a tendência é que esses sejam reduzidos até que deixem de ser exigidos.

A seguir, apresentamos alguns dos softwares mais utilizados na Engenharia Naval para diferentes finalidades.

Lembrando que esta lista é apenas uma pequena amostra com alguns dos programas de engenharia naval mais populares e não pode ser considerada como indicação ou ranking.

 

DESENHO

AutoCAD – o AutoCAD é um software de modelação altamente utilizado em Arquitetura e Design. Dentro da Engenharia Naval, seu emprego é na elaboração dos planos bidimensionais destinados à certificação e construção das embarcações, como Arranjos Gerais, Planos de Capacidade, desenhos de blocos, etc. Embora possua capacidade de modelação tridimensional, para esses desenhos costumam-se utilizar outros softwares, como o Rhinoceros e o Solidworks, ou, no caso específico de cascos, o MAXSURF.

 

ARQUITETURA NAVAL

MAXSURF – é um software específico para a Engenharia Naval que, além de possibilitar a modelação tridimensional de cascos, possui os módulos de cálculos de estabilidade intacta e avariada sob diversos critérios, incluindo avaria probabilística, cálculos estruturais globais e tabelas de tanques, entre outras funcionalidades.

 

HIDRODINÂMICA

ANSYS CFX – O ANSYS CFX é uma ferramenta de simulação de dinâmica dos fluídos (CFD). Com ele, é possível testar o comportamento hidrodinâmico de diversos modelos computacionais antes de construir qualquer modelo físico. Apesar de não ser um código desenvolvido especificamente para embarcações, o CFX é o mais difundido e, portanto, ainda o mais utilizado. Outros softwares de CFD mais voltados à Engenharia Naval são o STAR CMM e o ShipFlow.

 

ESTRUTURA

FEMAP – o NASTRAN é um código de análise de elementos finitos originado na NASA que foi feito público há algumas décadas. Para utilizá-lo, são necessárias ferramentas de pré e pós processamento, o que fez com que empresas desenvolvessem aplicações únicas já o incluindo. Um desses softwares é o FEMAP, da Siemens. Com ele, é possível modelar uma embarcação inteira, se necessário, ou apenas uma parte, utilizando condições de contorno, para realizar análises estruturais globais e locais.

 

ANÁLISE DINÂMICA

Orcaflex – o Orcaflex, da Orcina, é um software de análise estática e dinâmica, principalmente utilizado na análise de ancoragem. Também pode ser utilizado para a simulação de lançamento de equipamentos subsea, como árvores de natal e âncoras de plataformas, e para análise de risers, por exemplo. Para tais simulações, são necessários inputs hidrodinâmicos, como massa adicional e matriz de amortecimento, os quais podem ser estimados para geometrias simples ou obtidos de softwares de análise hidrodinâmica, como o WAMIT.

 

Sem sombra de dúvidas, o emprego de softwares é algo benéfico ao dia-a-dia de trabalho do engenheiro e ao resultado final do projeto, considerando tanto prazo, quanto preço e qualidade. Entretanto, o uso indiscriminado dos softwares de Engenharia não gera resultados confiáveis – como diz a famosa máxima “garbage in, garbage out” (lixo pra dentro, lixo pra fora). Desta maneira, é fundamental que um engenheiro qualificado seja responsável por realizar uma avaliação precisa do resultado gerado, propiciando assim o resultado ótimo do projeto.